Bacias Sedimentares

Bacias sedimentares são formações que ocorrem a partir de uma depressão geográficas, sendo caracterizadas por deposição de material sedimentar que, ao longo de milhões de anos, consolida-se e transforma-se em formações rochosas. O processo inicia- se com o desgaste do material, (pedaços de solo, rochas) que se transformam em sedimentos, estes matérias são carreados para as regiões mais baixas, as depressões por ação dos ventos, das águas dos rios, mar ou das chuvas e até mesmo do gelo nos locais mais frios, em um processo progressivo, longo e contínuo. Vale salientar, que este encadeamento, embora longo, não tem um tempo delimitado e específico, pois depende da capacidade de resistência das rochas e da força dos agentes erosivos.

Os matérias são depostos em camadas até sedimentar. Existindo, desta maneira, vários tipos de bacias, como as frontais, retroarco, oceânicas, intramontanhosas, intracratônicas, fossas de afundamento, margens continentais e as bacias pull-apart.

No período de sedimentação, restos de plantas e animas também são levados e no período de sedimentação, são esmagadas, decompostas, sofrendo o que chamamos de litificação, dando origem ao petróleo. Após a industrialização os combustíveis fósseis tomaram conta das atividades econômicas e necessidades socais do mundo, sendo um recurso não renovável. Os derivados do petróleo usados na nossa rotina são a gasolina, o óleo diesel e o gás de cozinha, entre outros.


O Brasil possui 9 bacias sedimentares que são produtoras de petróleo: Campos, no Rio de Janeiro, que é a maior produtora de petróleo do país; Espírito Santo, também possui reservas de petróleo significativas; Tucano; Recôncavo; Santos, bastante explorada atualmente, vai do litoral de Santa Catarina até o litoral do Rio de Janeiro; Sergipe-Alagoas; Potiguar, do oeste Ceará até a costa do Rio Grande do Norte; Ceará; Solimões.

Texto por : Bárbara Barbosa (Diretora de Projetos da MapGeo Jr. UFPE)

43 visualizações0 comentário