top of page

Características geográficas do Agreste Pernambucano e sua região


Caruaru, o coração do Agreste


O conceito de mesorregião define uma extensão territorial com características geográficas próprias, abrangendo diversos municípios de uma área geográfica com similaridades econômicas e sociais. No estado de Pernambuco, o Agreste compreende uma mesorregião, apesar de também estar inserido entre outros estados próximos. A mesorregião do Agreste tem uma área de 24.480 km² e densidade populacional de 98,5 hab./km², localizando-se no Planalto da Borborema, composto principalmente por serras com altitude média de 400 a 800 metros, e se estendendo de forma paralela à Zona da Mata e à costa litorânea, entre os estados de Alagoas e Paraíba. A região possui seis microrregiões: Alto Capibaribe, Brejo Pernambucano, Garanhuns, Médio Capibaribe, Vale do Ipanema e Vale do Ipojuca.




Mapa de Localização da Mesorregião Agreste de Pernambuco




A configuração climática do agreste pernambucano é predominantemente semiárida quente, com algumas localidades úmidas e brejos. Há sete áreas de brejos de altitude, que são caracterizadas por um clima tropical úmido ou subúmido fresco, e até mesmo subtropical de temperaturas amenas, e criam condições necessárias ao desenvolvimento de uma flora que reúne tanto características da Mata Atlântica quanto da caatinga.


Os solos predominantes na região são os latossolos e os argissolos, que são profundos, ácidos e possuem baixa fertilidade natural. A região é essencialmente pedregosa, com relevo extremamente variável, e as chuvas são irregulares e influenciadas pelo relevo, sendo chamadas de chuvas orográficas. Apesar disso, existem algumas regiões de maior umidade, chamadas de brejo, onde a agricultura é a principal atividade.


O agreste é uma área sujeita a secas cíclicas e apresenta deficiência hídrica de outubro a fevereiro. As massas de ar úmidas provenientes do Oceano Atlântico perdem força ao passarem pela região elevada, causando chuvas intensas em algumas partes do agreste e na Zona da Mata, e resultando em longos períodos de estiagem no sertão. O relevo é responsável pela maior parte das chuvas nas regiões com relevo menos elevado.



Paisagem do Agreste



A vegetação da mesorregião do Agreste é variável e possui predominância de vegetação que se adapta para os períodos secos, sendo característica da região mais alta do Planalto da Borborema. Na região mais baixa, o clima é mais úmido e a vegetação é mais densa.


O Agreste faz parte do ecossistema caatinga, com presença de arbustos com galhos retorcidos, cactos e bromélias, e apresenta vegetação tropical e florestada nas áreas altas e vegetação de caatinga nas áreas baixas ao centro e oeste do planalto. As regiões do agreste com vegetação Caatinga estão mais próximas ao Sertão, enquanto as áreas com vegetação Mata Atlântica estão mais próximas à Zona da Mata. A hidrografia da região é composta principalmente por rios temporários que secam durante a estação seca e enchem durante a estação chuvosa. Há poucos rios permanentes, sendo o rio São Francisco o único perene, devido aos altos índices pluviométricos em sua nascente. O Agreste é cortado pelas bacias hidrográficas do São Francisco, Atlântico Nordeste Oriental e Atlântico Leste. Apesar do clima semiárido, a fauna da região é diversa, incluindo a cutia, gambá, asa branca, gato selvagem, preá, tatupeba e veado-catingueiro.



Rebekka Tavares da Silva (Membro de Qualidade da Mapgeo J/UFPE)


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page