top of page

A utilização de Geomantas nas encostas da Região Metropolitana do Recife


Os deslizamentos de encostas e morros são uma infeliz realidade e grande problema na Região Metropolitana do Recife (RMR). A região é caracterizada por terrenos acidentados, solos instáveis e chuvas intensas, o que contribui para ocorrência de deslizamentos. As encostas ocupadas por habitações precárias e sem infraestrutura adequada são particularmente vulneráveis a deslizamentos, o que coloca em risco a vida das pessoas que nelas habitam. Além disso, a falta de planejamento urbano e a ocupação desordenada do solo são fatores que contribuem para agravar a problemática dos deslizamentos.


Estado do talude após a perda do equilíbrio


Para lidar com a problemática, é necessário realizar estudos geotécnicos para identificar as áreas de risco e adotar medidas de prevenção e mitigação, como a implementação de sistemas de drenagem pluvial, o uso de técnicas de contenção de encostas, como as geomantas, e o reassentamento das famílias que moram em áreas de risco.

No entanto, a solução para o problema dos deslizamentos não é simples, pois envolve questões sociais, ambientais, urbanas e econômicas complexas. É necessário, portanto, um planejamento integrado e coordenado entre os diversos setores da sociedade, incluindo governo, comunidade, empresas e organizações não governamentais, para enfrentar essa problemática de forma efetiva e sustentável.


As encostas, como dito anteriormente, são instáveis e representam uma ameaça à segurança e à integridade física de pessoas e de infraestruturas construídas em suas proximidades. Por isso, é fundamental que sejam aplicadas técnicas de estabilização para reduzir os riscos de deslizamentos e desmoronamentos.


No Brasil, existem diversas técnicas utilizadas para estabilizar encostas instáveis, cada uma com suas particularidades e aplicabilidades. Uma das técnicas mais utilizadas é a drenagem, que consiste na instalação de sistemas de drenagem para remover o excesso de água presente nas camadas do solo e na rocha, diminuindo a pressão hidrostática e, consequentemente, aumentando a estabilidade da encosta. Além disso, também é possível utilizar sistemas de drenagem superficial, como a construção de canaletas e caixas coletoras, para evitar que a água infiltre na encosta. Outra técnica comum é a construção de muros de contenção, que são estruturas que têm como objetivo conter a movimentação da encosta e evitar que o solo e as rochas escorreguem. Esses muros podem ser construídos de diferentes materiais, como concreto armado, blocos de concreto, gabiões e madeira.


É possível utilizar as chamadas técnicas vegetativas, que envolvem a implantação de vegetação na encosta. Essas técnicas têm como objetivo estabilizar o solo e reduzir a erosão, além de melhorar o aspecto paisagístico da área. Entre as técnicas vegetativas mais utilizadas estão o plantio de gramíneas, o uso de estacas vivas e a instalação de mantas vegetativas. Também existem as técnicas de injeção, que consistem na injeção de materiais nas camadas do solo e na rocha, com o objetivo de melhorar a sua resistência e diminuir a sua permeabilidade. Entre os materiais utilizados nas técnicas de injeção estão o cimento, a resina e o poliuretano.


Além das técnicas mencionadas acima, uma das técnicas que está sendo utilizada principalmente no município do Recife é a aplicação de geomantas. Geomantas são uma técnica de estabilização de encostas que consiste na utilização de mantas de geotêxtil (tecidos sintéticos) para controle de erosão e estabilização do solo. Essa técnica é muito utilizada em áreas que sofrem com problemas de erosão, deslizamentos ou instabilidade do solo. As geomantas são compostas por fibras sintéticas, como poliéster ou polipropileno, que são tecidas para formar uma malha. Essa malha é então preenchida com material granular, como terra ou pedras, e instalada na encosta a ser estabilizada.


Geomanta a recobrir uma encosta


As geomantas são muito eficientes na prevenção de deslizamentos de terra, pois elas ajudam a manter a estrutura do solo, evitando a perda de partículas e impedindo que a água da chuva penetre em toda a superfície. Além disso, elas também ajudam a controlar o escoamento superficial da água, prevenindo o transporte de sedimentos para as áreas abaixo da encosta. Outra vantagem das geomantas é que elas podem ser instaladas em áreas de difícil acesso ou com topografia irregular, o que muitas vezes torna outras técnicas de estabilização de encostas inviáveis.



Texto por : Ricardo Vandré T. O. Silva (Vice-Diretor de Projetos da MapGeo Jr. UFPE)


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page